Cartão do Riocard terá que ser substituído

Cartão do Riocard terá que ser substituído

O cartão Riocard, usado nos meios de transporte de 43 cidades do estad do Rio de Janeiro, será substituído por uma nova versão, batizada de Riocard Mais.

Os usuários terão até outubro para trocar o cartão antigo pelo novo de forma gratuita. A novidade promete melhorar a experiência dos passageiros. Os clientes poderão acessar as informações do serviço em um aplicativo no smartphone e terão um novo sistema de atendimento mediado por inteligência artificial. Além disso, poderão usufruir de um clube de vantagens que promete descontos em pontos comerciais conveniados, como farmácias.

A troca dos cartões será feita de forma gradativa, obedecendo a critérios como : tipo de cartão, região e público-alvo. Para saber se o seu cartão já pode ser trocado, basta acessar o site www.riocardmais.com.br e rolar a página até o campo “consulta”, onde deverá ser inserida a numeração do cartão. No site, também é possível descobrir o ponto de troca mais próximo da sua localização.

Desde terça-feira, passageiros que circularam pela Central do Brasil já puderam trocar seus cartões. Funcionários da Riocard posicionados perto dos totens de recarga dos cartões distribuíram folhetos sobre o Riocard Mais e fizeram as trocas.

O instalador de persianas Everaldo Josino Canela, de 63 anos, soube da ação e não perdeu tempo.

— Quis trocar logo porque depois todo mundo vai querer trocar ao mesmo tempo e vai ser a maior confusão — afirmou.

A doméstica Joanice Lopes, de 52 anos, elogiou as mudanças.

— Achei bom poder ver o saldo e outras informações pelo aplicativo. Vai ficar mais fácil de controlar os gastos — disse ela, que diariamente pega duas conduções para ir da Baixada Fluminense, onde mora, até o seu local de trabalho, na Zona Sul.

Por volta das 16h, no entanto, o sistema de trocas sofreu uma interrupção e uma longa fila se formou. Alguns usuários esperaram mais de meia hora para fazer a troca. Um funcionário explicou que o sistema tinha caído por estar sobrecarregado.

A assessoria de imprensa da Riocard esclareceu que o ponto de troca de cartões na Central do Brasil está funcionando em período de testes para identificar eventuais falhas que precisem ser corrigidas no sistema. O período oficial da primeira etapa de trocas de cartões terá início no dia 20 de maio e seguirá até o dia 31 de outubro.

Fonte : Jornal Extra

Riocard suspende cartões por fraude

Riocard suspende cartões por fraude

bilheteunicorecomendomuito

 

Os equipamentos de biometria facial em implantação nos ônibus começaram, na semana passada, a registrar fotografias dos usuários do Bilhete Único Intermunicipal (BUI) que embarcam em coletivos da capital e da Baixada Fluminense.

Com a medida, a RioCard já pode começar a suspender os benefícios tarifários dos cartões que não forem usados pelos verdadeiros titulares.

O processo de reconhecimento facial é feito, inicialmente, com as imagens registradas no primeiro embarque como sendo do dono do benefício, já que os titulares do BUI não têm fotos em seus cadastros na RioCard.

Se nos próximos acessos o portador for diferente daquele fotografado na primeira ocasião, será constatado o uso irregular.

O BUI é um programa social financiado com subsídio diário de R$ 1,5 milhão pelo governo estadual.

O diretor da RioCard, Carlos Silveira, ressalta que o controle é importante para evitar fraudes e garantir a continuidade do benefício para cerca de 5 milhões de pessoas, tendo em vista que o estado realiza ajustes financeiros devido à crise.

“Muitos fraudadores ganham dinheiro vendendo passagem de Bilhete Único Intermunicipal em pontos de ônibus. Além de o sistema ter evasão de receita, o governo do estado está pagando pelo fraudador que recebeu um dinheiro não lícito”.

Com base no decreto estadual 45.749, de setembro de 2016, que regulamenta a lei do controle biométrico, emprestar o cartão a outras pessoas pode agora gerar suspensão dos descontos garantidos com o bilhete em viagens intermunicipais.

Em casos de divergência, o cartão continuará funcionando. Mas, cinco dias úteis após a constatação do uso indevido, os benefícios tarifários serão suspensos.

O titular deverá, então, comparecer a uma loja da RioCard para atualizar o cadastro e regularizar a situação.

O decreto prevê punições progressivas, como suspensão por 60 dias e cancelamento definitivo do benefício, em caso de reincidência após a reativação.

A biometria facial foi implantada em setembro, mas até a semana passada vinha identificando apenas usos irregulares dos benefícios de gratuidade, cujos cadastros já possuíam fotos 3×4 — o BUI ainda não estava sendo monitorado porque não possuía fotos cadastradas.

Até 19 de abril, 43.454 cartões de gratuidade foram cancelados em meio a 65.771 transações com fraudes.

De acordo com a RioCard , 30% dos 2 milhões de transações diárias de gratuidades são de uso indevido.

Segundo Carlos Silveira, cerca de 300 ônibus da capital e da Baixada Fluminense já estão registrando o controle biométrico do BUI.

Esta semana, um terço dos 22.500 ônibus do estado estarão fazendo esse monitoramento, e depois toda a frota.

A tecnologia é custeada pelas empresas, sem ônus para o governo. Barcas, trens e metrô também serão incluídos no processo.

Um convênio com o Detran, previsto para maio, permitirá que fotos dos documentos de identidade sejam atribuídas aos cadastros do BUI.

Com isso, as imagens capturadas na primeira fase do controle biométrico serão substituídas.

Após essa integração, os titulares serão comunicados do uso indevido por meios eletrônicos e nos validadores dos ônibus.

Será solicitado, então, um autocadastro por aplicativo grátis que poderá ser baixado em celulares e computadores.

Nesse autocadastro, o dono do cartão fará selfie para comprovar que é ele mesmo. Se a divergência permanecer, será chamado à loja física.

Fonte : O Dia