Prefeitura do Rio anuncia pacote para ambulantes

Prefeitura do Rio anuncia pacote para ambulantes

prefeituradorio

Em meio à explosão do número de camelôs nas ruas da cidade, a prefeitura do Rio de Janeiro anunciou que vai divulgar esta semana um novo pacote para regularizar a ocupação nas calçadas.

A ideia do Programa Ambulante Legal é padronizar as barracas e fazer com que os vendedores usem crachás com QR Code, código que pode ser escaneado por aparelhos celulares com câmera fotográfica, permitindo a identificação do usuário.

Essa será mais uma tentativa do prefeito Marcelo Crivella para ordenar os camelôs. Em agosto do ano passado, ele lançou o protótipo das banquinhas verticais e prometeu aumentar em 4.300 o número de ambulantes. Ele baixou ainda decretos criando as “feiras” de camelôs em espaços públicos. Em novembro, foi sancionada uma lei que estabelece os produtos que podem ser vendidos.

Marcelo Crivella se reúne nessa semana com os secretários da Casa Civil, da Fazenda e de Ordem Pública, para aparar as arestas do programa.

Entre as medidas previstas, estão a exigência de notas fiscais dos produtos. Segundo Paulo Amendola, secretário municipal de Ordem Pública, a tecnologia permitirá que a fiscalização seja feita de forma ágil.

— O programa vai consentir que os ambulantes funcionem, desde que sejam cadastrados, paguem suas licenças e cumpram as normas de posturas municipais. Não se pode, por exemplo, vender produtos diante de uma loja do mesmo segmento — diz Amendola.

Coordenadora do Movimento Unidos dos Camelôs (Muca), Maria de Lourdes do Carmo afirma que os representantes de ambulantes vêm tentando dialogar com a prefeitura desde o início da gestão Crivella, sem obter êxito.

— A gente não quer a rua desorganizada, mas a prefeitura poderia sentar conosco e conversar. Os camelôs que conseguiram a licença hoje trabalham ao lado de outros que se cadastraram, mas não foram licenciados. Se a prefeitura pretende apenas piorar as coisas, arrochando a fiscalização, provavelmente vai haver conflito — diz a comerciante, com 23 anos de experiência.

Fonte : Jornal Extra