Redução de idade dos idosos no Rio de Janeiro não vale para o transporte público

Redução de idade dos idosos no Rio de Janeiro não vale para o transporte público

O prefeito Marcelo Crivella sancionou ontem uma lei que reduz de 65 para 60 anos a idade do idoso na cidade do Rio de Janeiro. Com a mudança, mais pessoas passam a ter direito a benefícios como meia-entrada em cinemas, teatros e museu, prioridade nos atendimentos e em vagas, e isenção em taxas.

A redução, porém, não amplia o benefício do passe livre nos transportes. Isso porque uma lei federal reserva a gratuidade apenas a pessoas com 65 anos ou mais no país.

O vereador que propôs o projeto, contudo, ainda quer ampliar o acesso ao benefício do passe-livre de outra forma.

— Estou conversando com a Prefeitura para que abra essa exclusividade no país, favorecendo as pessoas de baixa renda com mais de 60 anos. Vamos fazer um estudo de viabilidade para beneficiar quem recebe de três a quatro salários — afirma Eliseu Kessler.

Em março de 2018, a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) também tinha promulgado projeto de lei que reduzia a idade do idoso no Estado do Rio de 65 para 60 anos. A regra estabeleceu a nova idade para o uso gratuito de transportes públicos intermunicipais, entre outros benefícios.

Em maio do ano passado, porém, a Procuradoria Geral do Estado ingressou com ação de inconstitucionalidade junto ao Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) questionando diversos artigos da legislação. Após uma longa discussão, o Órgão Especial do TJ-RJ concedeu, no início de dezembro, liminar para suspender a redução da idade.

Fonte : Jornal Extra

Governo agora diz que saque do PIS priorizará idosos

Governo agora diz que saque do PIS priorizará idosos

pispasespprevidencia

O Ministério do Planejamento informou, ontem, que trabalhadores mais idosos terão prioridade no saque do PIS/ Pasep.

Com a redução da idade mínima para saques na cota do abono, cerca de quatro milhões de trabalhadores, que já poderiam sacar o benefício imediatamente por já terem idade igual ou superior a 70 anos, agora terão que aguardar até seis meses, obedecendo ao calendário que irá de outubro a março de 2018.

A medida foi anunciada na semana passada a e prevê a diminuição da idade mínima para 62 anos, no caso das mulheres, e 65 anos para homens.

O calendário de atendimentos deve ser divulgado no próximo dia 15.

A média mensal de retiradas deve saltar de R$ 104 milhões para R$ 2,6 bilhões.

Em nota, o órgão informou que Caixa e Banco do Brasil já se preparam para solicitações. A expectativa é que os bancos recebam um volume de solicitação de saques de 1,3 milhão por mês.

Fonte : Jornal Extra

Idosos esperam em fila por reabertura de restaurante popular no Rio de Janeiro

Idosos esperam em fila por reabertura de restaurante popular no Rio de Janeiro

aposentadarestaurante

 

Três unidades de restaurantes populares foram fechadas nesta segunda-feira (7) por causa da crise e da dívida do estado com a empresa que presta o serviço.

Mesmo com as portas fechadas, alguns idosos esperavam na fila do restaurante da Central do Brasil, na expectativa de que ele reabrisse.

Algumas pessoas já haviam sido avisadas de que o restaurante seria fechado, mas funcionários faziam um trabalho de limpeza dentro da unidade e isso fez com que alguns idosos que chegavam ficassem na esperança do funcionamento.

Os funcionários disseram que a limpeza estava sendo feita para que o prédio fosse entregue ao estado.

O aposentado Edgar Matos era uma das pessoas que aguardava na fila. Ele disse que sempre vai ao restaurante da Central do Brasil porque é mais barato e consegue economizar. “É um meio de economia, porque eu sou aposentado do INSS, ganho um salário mínimo. Eu tenho que gastar de acordo com o meu salário”, disse Edgar Matos.

As três unidades que foram fechadas – Central do Brasil, Méier e Cidade de Deus – servem 7,5 mil almoços por dia a R$ 2.

Segundo a empresa, a dívida total acumulada com o governo do estado desde janeiro é de R$ 18 milhões. A empresa Home Bread Multiserviços fez o anúncio do fechamento na última terça-feira (31).

Apesar do comunicado, o Governo do Estado do Rio afirmou que a dívida é de R$ 10 milhões.

Na ameaça de fechamento em setembro, a Prefeitura do Rio disse que ia repassar R$ 6 milhões para a empresa. No entanto, o governo municipal informou que falta receber um documento do governo estadual.

Fonte : RJTV – Rede Globo de Televisão