Trabalhadores dos Correios de São Paulo e Rio de Janeiro aceitam proposta do TST

Trabalhadores dos Correios de São Paulo e Rio de Janeiro aceitam proposta do TST

correiossedex

Os trabalhadores dos Correios de São Paulo e do Rio de Janeiro votaram nesta quinta (5) pela aceitação do acordo coletivo proposto na quarta (4) pelo Tribunal Superior do Trabalho. Os funcionários estavam em greve desde o dia 19 de setembro.

Segundo os Correios, mais de mil empregados retornaram ao trabalho hoje, a maioria carteiros. Cerca de 14 mil dos 108 mil trabalhadores estavam paralisados na manhã desta quinta, de acordo levantamento da empresa.

Segundo os sindicatos, os empregados devem retornar totalmente ao trabalho no sábado (7).

Os Correios entraram no dia 28 com uma ação pedindo dissídio coletivo junto ao TST para tentar pôr fim à greve. A decisão ocorreu depois que parte dos sindicatos ligados à Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios (Findect) aderiram à paralisação.

A categoria pedia 10% de aumento nos benefícios, reajuste de R$ 300 no salário e manutenção do acordo coletivo, incluindo o plano de saúde. Os Correios ofereceram 3% de aumento em salários e benefícios e parte do acordo.

Na tarde de quarta (4), o vice-presidente do TST, ministro Emmanoel Pereira, apresentou uma proposta de acordo coletivo que contempla reajuste de 2,07% retroativo ao mês de agosto de 2017, compensação de 64 horas (8 dias) e desconto dos demais dias de ausência, além da manutenção das cláusulas já existentes no acordo. A cláusula que trata do plano de saúde continua sendo mediada.

Fonte : Folha de S.Paulo

Greve nos Correios chega ao Rio de Janeiro

Greve nos Correios chega ao Rio de Janeiro

correiosgreve

Funcionários dos Correios do Rio de Janeiro, da região metropolitana de São Paulo, do Tocantins e do Maranhão decidiram entrar em greve, após assembleia na noite de terça-feira (26).

Com isso, a greve agora atinge todos os 26 26 Estados do país, mais o Distrito Federal.

Os sindicatos que representam os trabalhadores dessas regiões ainda não tinham decretado a greve, porque são ligados à Findect (Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios), uma das duas que representam funcionários dos Correios.

Os sindicatos das outras regiões, ligados à Fentect (Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares), já estavam em greve, que atinge grande parte do Brasil desde a semana passada.

Com isso, a greve foi aprovada por quase todos os sindicatos de trabalhadores dos Correios do Brasil, segundo as duas federações. Apenas a região de Bauru, cujo sindicato é ligado à Findect, não aceitou a paralisação.

Fonte : UOL