Bancos privados suspendem greve no Rio de Janeiro

Bancos privados suspendem greve no Rio de Janeiro

bancariossetembroentidade

Após quatro semanas em greve, bancários privados e do Banco do Brasil aceitam proposta da Fenaban e suspendem paralização nesta quinta-feira (6) em todo o estado. A Caixa Econômica Federal foi o único banco que rejeitou as propostas e manteve a greve. O Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro confirmou a decisão.

A Federação Nacional dos Bancos apresentou na quarta-feira (5) às lideranças sindicais dos bancários a proposta global que prevê o pagamento de abono único de R$ 3.500 a ser pago em até 10 dias após a assinatura da CCT (Convenção Coletiva de Trabalho) e reajuste de 8,0% para salários, pisos salariais, benefícios e para os valore fixos e tetos expressos em reais da PLR (Participação nos Lucros e Resultados).

A proposta prevê, também, reajuste diferenciado, de 15,0%, especificamente para os valores do auxílio cesta alimentação e décima-terceira cesta alimentação e, de 10,0%, sobre os valores do Auxílio Refeição e do Auxílio-Creche/Babá.

Mais de 400 agências estavam fechadas, equivalente a mais de 39%, segundo o sindicato dos bancários.  Em assembleia realizada na última segunda-feira (3), a categoria rejeitou a proposta da Fenaban, apresentada na quarta-feira (28).

No 29º dia da greve, a paralisação se intencificou, atingindo várias regiões e deixando pelo menos 435 agências com as portas fechadas no Centro, Glória, Campo Grande, Pavuna, Rio Comprido e Copacabana, além de seis prédios administrativos.

Fonte : Globo.com

Greve dos bancários continua sem previsão para acabar no país

Greve dos bancários continua sem previsão para acabar no país

bancariossetembroentidade

A greve dos bancários completa, nesta sexta-feira, 18 dias sem perspectiva de fechamento de acordo com os bancos.

Ontem, segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), a paralisação afetou 13.159 agências em todo o país, incluindo as do Rio de Janeiro. O número representa 55% do total.

Diante do impasse, o Comando Nacional dos Bancários se reúne segunda-feira, em São Paulo para definir os próximos passos do movimento. Não há previsão de nova negociação.

No Rio, a OAB-RJ entrou com ação civil pública com pedido de “restabelecimento imediato, durante o expediente bancário, de efetivo mínimo de 30% dos funcionários nas agências conveniadas com órgãos do poder judiciário em todo o Rio de Janeiro”.

A OAB alegava que a greve impede “o cumprimento dos mandatos judiciais de pagamento dos valores depositados em contas judiciais”.

De acordo com o Sindicato dos Bancários do Rio, o juiz titular da 60ª Vara do Trabalho, Robert de Assunção Aguiar, determinou apenas que duas agências em todo o município (uma da Caixa Econômica, na Rua do Lavradio, no TRT e outra do Banco do Brasil, no Fórum Central, na Av. Erasmo Braga) façam este tipo de atendimento.

Fonte : O Dia