Ruas do município do Rio de Janiero viram prova de obstáculos

Ruas do município do Rio de Janiero viram prova de obstáculos

ruadomunicipio

Os buracos estão esquecidos nas ruas do Rio de Janeiro. Dados do serviço municipal 1746, obtidos pelo EXTRA por meio da Lei de Acesso à Informação, mostram que um a cada três pedidos de reparo de buracos feitos de janeiro de 2017 a abril de 2018 está em aberto, sendo que 18% aguardam solução há pelo menos um ano.

No bairro de Vargem Grande, que tem 14.039 moradores, por exemplo, há 142 pedidos não atendidos. Isso significa que há uma reclamação de buraco sem solução para cada 99 habitantes.

Já Campo Grande, também na Zona Oeste, tem o maior número de buracos a serem tapados na cidade: são 1.669 pedidos ainda abertos. Nesse bairro, há uma requisição para cada 197 moradores.

Uma das reclamações partiu de Maria José Vicente, de 44 anos. Ela mora na Rua Sofia Mendonça, na frente de um buraco que podia, no último dia 15, ser visto no mesmo local desde que o Google Maps fotografou a rua, em 2015.

— A prefeitura veio aqui no começo do ano passado e disse que não poderia consertar o buraco porque precisava antes limpar a galeria. Mas não mais voltou — conta a moradora.

No Largo do Jacaré, a buraqueira chegava a fazer a borracharia do outro lado da rua enriquecer. Depois da reportagem, a prefeitura passou no local e consertou as crateras.

Depois de o EXTRA questionar a prefeitura, vizinhos informaram que os buracos foram tapados. A Secretaria municipal de Conservação informou que investiu, em 2017, R$ 51,8 milhões para reparo de vias, que estima aumentar esse gasto para R$ 76,9 milhões neste ano e se comprometeu a solucionar os casos abertos.

Por enquanto, os investimentos não têm evitado queixas de Norte a Sul do Rio. Em Laranjeiras, por exemplo, são 48 pedidos de tapa buraco em aberto. No Centro, outros 91.

Fonte : Jornal Extra

Comentários