Projeto endurece regras para o uso de aplicativos de transporte

setembro 19, 2018 por
Filed under: Cartório na Barra da Tijuca, Cartório no Centro RJ 

Projeto endurece regras para o uso de aplicativos de transporte

uber99

Dois vereadores que costumam apresentar projetos favorecendo os taxistas pretendem levar à votação na Câmara um polêmico Projeto de Lei Complementar (PLC), que estabelece regras mais rígidas para o funcionamento dos aplicativos de transporte, como Uber, Cabify e 99.

A proposta, que passou em dez comissões da Casa em um mesmo dia, prevê, entre outras limitações, um número máximo de veículos de aplicativos em circulação.

A proposta, de autoria dos presidente da Casa, Jorge Felippe (MDB), e de Vera Lins (PP), prevê um carro de aplicativo para cada 750 habitantes, o que, atualmente, permitiria a circulação de 8.427 veículos.

Também determina que somente modelos sedan ou perua sejam usados e exige que, para entrar nos aplicativos, os motoristas tenham carros com no máximo quatro anos de fabricação.

— Os taxistas estão quase sangrando com os aplicativos, é muito carro na rua. Como eles estão num desespero muito grande, têm sempre esperança de que a coisa melhore — afirmou Vera Lins.

Jorge Felippe, cujo neto é candidato a deputado estadual, alega que o projeto não tem qualquer ligação com a eleição deste ano e só entrará na pauta após o pleito e de audiências públicas. Para ele, o setor de aplicativos de transporte na cidade, atualmente, é uma “caixa-preta”.

— Não será votado antes da eleição. Vai ser precedido de audiência pública para se discutir essa situação do trânsito e da mobilidade urbana. Aqui no Rio é uma bagunça. Não tem mais hora de rush, qualquer hora está engarrafado — diz o vereador.

A Uber, em nota, afirmou que o PLC é “arbitrário” e não resulta em melhorias efetivas no serviço. “Oneraria os parceiros com taxas abusivas e deixaria o serviço mais caro e escasso para a população”.

Os representantes da 99 destacaram que o projeto vai no sentido contrário de decisões tomadas em outras capitais.

Fonte : Jornal Extra

Comentários