Prefeito Marcelo Crivella diz que há espaço para táxis e aplicativos no Rio de Janeiro

julho 28, 2017 por
Filed under: Cartório na Barra da Tijuca, Cartório no Centro RJ 

Prefeito Marcelo Crivella diz que há espaço para táxis e aplicativos no Rio de Janeiro

taxisrio

Apesar de dizer que entendia a “dor e a angústia” dos taxistas e ter pedido compreensão da população com o protesto contra os aplicativos como Uber,Cabify, Easy Táxi e 99, o prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella não escondeu que defende a regularização de aplicativos de transporte individual, o que vem irritando as lideranças dos “amarelinhos”.

Ontem, em uma coletiva logo depois da manifestação, Marcelo Crivella afirmou que há espaço para táxis e motoristas de aplicativos nas ruas do Rio.

Disse que a preferência pelos aplicativos já é uma realidade “no Brasil e no mundo”.

Ontem à noite, após o ato, taxistas voltaram ao Palácio da Cidade para tentar uma reunião com o prefeito.
— É do conhecimento de todos que, no Brasil e no mundo, os aplicativos têm merecido uma certa preferência da população. E os táxis perderam recursos. É natural haver um inconformismo — disse Crivella, que já havia falado em ingressar com um projeto de lei na Câmara liberando os aplicativos, mas estabelecendo regras e mais impostos sobre os serviços.

Crivella disse ainda que o Uber paga por mês cerca de R$ 1 milhão de ISS à prefeitura do Rio. O incremento do valor a partir da regulamentação dos aplicativos seria completamente revertido para “melhorias para o serviço de táxis”.
— Nessa lei de regulamentação, todos os recursos arrecadados com aplicativos serão usados para melhorar o serviço dos táxis. Para nós, é importante que o táxi sobreviva. Sem concorrência, a tendência do mercado é que os preços subam. Sem o táxi, quem garante que o Uber vai ser barato amanhã ?

A demora para uma definição sobre a regularização dos aplicativos, no entanto, pode ter acirrado os ânimos dos manifestantes.

Marcelo Crivella disse aguardar uma decisão da Justiça, em segunda instância, sobre a liminar que permite ao Uber continuar funcionando. O prefeito considera que o entendimento jurídico é importante para evitar que o projeto de lei da prefeitura seja considerado inconstitucional :
— A prefeitura começou a discutir com os taxistas e com as empresas o que vários taxistas me pediram, a regulamentação dos aplicativos. Mas a precisamos verificar a posição da Justiça, se é constitucional ou se é inconstitucional. Na semana passada, estive com o presidente do Tribunal de Justiça e fiz um apelo a ele para que essa liminar fosse julgada, pra que nós tivéssemos um horizonte jurídico.

Apesar de ter se reunido na semana passada com o presidente do TJ, a decisão só deve sair depois do fim do recesso do Judiciário. Segundo Crivella, o município precisa saber, por exemplo, se pode limitar o número de carros por aplicativo.

O prefeito disse ter conversado, um dia antes, com lideranças do movimento e acolhido reivindicações, como o aumento da vida útil dos veículos de seis para oito anos, o que não impediu o protesto :
— Tivemos uma reunião longa, de mais de duas horas — contou o prefeito, que voltou a citar o período em que foi taxista. — Dirigia 300 quilômetros por dia. Não é fácil ser taxista. Eu sinto a dor deles, a angústia. Cada um deles perdeu R$ 3 mil por mês, eles estão com contas atrasadas. O que a prefeitura pode fazer é o aplicativo (Táxi Rio, em fase de testes).

Fonte : O Globo

Comentários